Piauí Centro Integrado de Reabilitação - CEIR


O Centro Integrado de Reabilitação – CEIR –  é uma referência na reabilitação de pessoas com deficiência física ou motora no Piauí que trabalha para reintegrar o paciente com deficiência na sociedade, no mercado de trabalho e na sua família. O trabalho é desenvolvido por uma equipe multidisciplinar, onde são oferecidos os recursos clínicos para adaptação, readaptação e reabilitação à sua condição física. Além de ofertar todos os tratamentos num único lugar, com profissionais capacitados, técnicas modernas e equipamentos de última geração, o CEIR tem o diferencial de priorizar a humanização no atendimento. Antes de enxergarmos o paciente, nós enxergamos a pessoa.

Histórico

O Estado do Piauí tem uma população, segundo o Censo 2000 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de 2.843.423 habitantes, dos quais 501.409 apresentam pelo menos algum tipo de deficiência, ou seja, 17,6 % da população. Desse total, 24.978 pessoas possuem deficiência física e 145.325 piauienses têm deficiência motora.

A iniciativa de criação do CEIR surgiu a partir da necessidade de se dotar o Estado do Piauí de um serviço de referência nas áreas de reabilitação e readaptação, destinado, principalmente à população de baixa renda. O CEIR é um Centro de Excelência capacitado para o atendimento de uma grande demanda de pacientes, que tinham que buscar em outros estados atendimento de referência em reabilitação física.

Inaugurado no dia 05 de maio de 2008, o CEIR oferece serviços de referência na área de reabilitação às pessoas com deficiências temporárias ou permanentes, sendo considerado uma das conquistas mais expressivas do Governo do Piauí. É resultado de uma parceria da Secretaria Estadual da Pessoa com Deficiência – SEID, Secretaria de Saúde do Piauí e Ministério da Saúde.

Projeto estruturado em modelo de instituições renomadas, como a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) e o Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo, de Goiânia (GO), o CEIR funciona como o coração da Rede Estadual de Reabilitação, que está sendo implantada no Piauí. O Centro também compõe o Complexo Estadual de Reabilitação em Saúde e Educação Daniely Dias, juntamente com o CIES (Centro Integrado de Educação Especial).

Modelo de gestão

O CEIR é uma realização do Governo do Estado do Piauí com apoio do Governo Federal, mas é gerenciado por uma organização social sem fins lucrativos, a Associação Piauiense de Habilitação, Reabilitação e Readaptação – Associação Reabilitar. Com isso, pode captar recursos particulares e receber doações e empresas e pessoas físicas, além de verbas públicas, favorecendo a manutenção do alto padrão de qualidade no atendimento. A Associaçăo Piauiense de Habilitaçăo, Reabilitaçăo e Readaptaçăo- Associaçăo Reabilitar, é uma sociedade civil, com personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, de interesse coletivo, qualificada como organizaçăo social, reconhecida como entidade de utilidade pública e de interesse social.

Responsável pela administraçăo do Centro de Integrado de Reabilitaçăo (CEIR), através de contrato de gestăo feito com o Governo do Estado do Piauí, a Associaçăo Reabilitar é formada por 16 integrantes, entre representantes do Governo do Estado e da sociedade civil organizada. Dessa forma, as decisőes tomadas săo baseadas em visőes plurais, buscando sempre representar os interesses da sociedade da melhor maneira possível, primando pela transparęncia e pela impessoalidade.

Serviços

O CEIR oferece atendimento de reabilitação às pessoas com paralisia cerebral, doenças neuromusculares, malformações congênitas, lesões encefálicas adquiridas – causadas por traumatismo cranioencefálico, acidente vascular encefálico, anóxia cerebral, tumores cerebrais e infecções no sistema nervoso – lesão medular e seqüelas de poliomielite. A estrutura ambulatorial do centro é baseada nos modernos conceitos de reabilitação e de inclusão social e no padrão de atendimento da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), que é referência nacional em reabilitação; conta com ampla estrutura ambulatorial. Para isso, oferece atendimentos multi e interdisciplinar nas áreas de:

  • Arte-reabilitação
  • Enfermagem
  • Especialidades Médicas
  • Fisioterapia
  • Fonoaudiologia
  • Hidroterapia
  • Musicoterapia
  • Nutrição
  • Odontologia
  • Oficina Ortopédica
  • Pedagogia
  • Psicologia
  • Reabilitação Desportiva
  • Serviço Social
  • Terapia Ocupacional

Rede Estadual de Reabilitação

Está em processo de implantação a Rede Estadual de Reabilitação, que corresponde a 33 centros de reabilitação de nível I e dois de nível II, segundo normas do Ministério da Saúde. O funcionamento da rede se constituirá em referência para todo o Estado e funcionará como um núcleo de disseminação de informação e de orientação com relação à mais adequada maneira de procedermos ao atendimento das pessoas com deficiência (PCD) através da promoção da saúde, reabilitação adequada e especializada e prevenção das deficiências. O paciente poderá iniciar seu programa de reabilitação no Centro de Reabilitação em Teresina e, numa segunda etapa, continuará o tratamento no município que possua uma unidade da Rede Estadual de Reabilitação; além disso, o paciente pode continuar a consulta no Centro de Reabilitação Física a cada seis meses ou a cada um ano, dependendo da gravidade e necessidade de reavaliação e monitoramento do seu programa de reabilitação.

Oficina Ortopédica do CEIR

Inaugurada no dia 18 de fevereiro deste ano, a Oficina Ortopédica do Ceir (Centro Integrado de Reabilitação) é um marco na história da reabilitação física de pessoas com deficiência do Piauí. Com ela,  órteses e próteses são fabricadas no próprio estado, facilitando a vida de quem precisa dos produtos para se locomover e/ou ter uma maior independência. O serviço será financiado pelo SUS (Sistema Único de Saúde), mas o Ceir também vai disponibilizar os produtos para particulares.

A Oficina é fruto de uma parceria do próprio Ceir, da Associação Reabilitar, que administra o Centro, da Seid (Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência), da Secretaria Estadual de Saúde e do Ministério da Saúde. Ela confecciona os aparelhos ortopédicos sob prescrição médica. Seus produtos são divididos em dois grupos: prótese (aparelho que substitui um segmento do corpo) e órteses (aparelhos que auxiliam um órgão ou função deficiente).

O Piauí é o primeiro a inaugurar a Oficina Ortopédica, dentro do projeto da Agenda Social de Inclusão da Pessoa com Deficiência, do Governo Federal.

As órteses e próteses são equipamentos auxiliares essenciais no processo de reabilitação, principalmente, em relação à prevenção de deformidades.

Na Oficina Ortopédica do Ceir elas são confeccionadas de forma individualizada e tem como objetivo proporcionar adequado alinhamento biomecânico com maior independência e conforto para o paciente.

O superintendente Multiprofissional do Ceir, o fisioterapeuta Aderson Luz, lembra que o fato das peças serem produzidas no próprio Estado terá muitas vantagens. “Nós vamos priorizar a qualidade do material e teremos melhor velocidade de entrega, com um produto sob medida para cada paciente. Depois tem o diferencial de preparação do paciente para o recebimento da órtese ou da prótese, além do acompanhamento permanente, com a capacidade de promover novas adaptações com o avanço do tratamento. Tudo isso proporciona uma melhora significativa da qualidade de vida dessas pessoas, que terão uma maior independência e a autoestima elevada”, enumera.

Mais de 145 mil piauienses que, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) possuem deficiência física e/ou motora, podem ser beneficiados diretamente pela Oficina Ortopédica do CEIR, além de pessoas vítimas de acidentes de trânsito, AVC (Acidente Vascular Cerebral – conhecido derrame cerebral), crianças que nascem com paralisia cerebral, pessoas que sofrem amputações ocasionados por acidente ou algum tipo de doença, como o diabetes.

A Secretária para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Rejane Dias, explica que a Oficina é um marco na história da reabilitação física de pessoas com deficiência do Piauí. “É mais um grande avanço para inclusão e reabilitação. É terceira etapa do Complexo Estadual de Reabilitação em Saúde e Educação Daniely Dias. A primeira foi o CIES (Centro Integrado de Educação Especial), a segunda o CEIR e agora a Oficina. E nós não vamos parar, vamos desenvolver novos projetos”, avisa.

A Oficina Ortopédica do Ceir é formada por 10 profissionais e tem capacidade para produzir até 400 peças por mês, mas os produtos possuem tempo de produção diferenciados, dependendo do tipo e da complexidade exigida como característica necessária para cada paciente.

fotos-ceir

Saiba Mais